Wednesday, March 16, 2011

"TGV corta ao meio melhor vinho tinto do mundo"

O texto seguinte corresponde a uma notícia TSF de 10 de Maio de 2008 mas ainda actual:

O corredor para o comboio de alta velocidade vai passar em Fernando Pó, no concelho de Palmela, onde 18 hectares da casta syrah, da casa Ermelinda Freitas, que recebeu este ano um prémio internacional de melhor vinho tinto, vão ficar em risco.

Entre a linha do sul e a alta velocidade a população de Fernando Pó fica dividia entre duas ferrovias, mas também fica mais pobre, porque perde vários hectares de vinha.

Ainda por cima são jovens videiras com sete anos que respondem à modernização do sector vitivinícola da região. É o caso das vinhas da casa Ermelinda Freitas.

«O TGV será um pólo de desenvolvimento, mas tenho muita pena que a população de Fernando Pó e as vinhas não tenham sido poupadas a um grande impacto.»

Leonor Freitas diz ainda que os impactos deveriam ter sido minimizados, porque apesar da alta velocidade passar em viaduto ao longo de 1200 metros isso é suficiente para reduzir a produção do vinho.

«Mesmo que passe uma parte em viaduto não estraga só aquele espaço, porque as vinhas estão armadas e têm rega, tudo é feito em sistema contínuo», acrescenta.

Estas vinhas estão preparadas para um vindima mecanizada e além da zona em viaduto há videiras que vão ter que ser cortadas ao longo de uma faixa de quase um quilómetro e meio, o que prejudica castas como o arinto, o chardonay, o syrah e o castelão.

|

Links to this post:

Create a Link

<< Home