Sunday, September 14, 2008

A Não-Poesia de Fernando Pessoa Será Poesia ou É Poética?

Há um sentido de justiça que pressinto ter origem na infância, em qualquer misto maniqueísta de índios e cowboys com a Guerra fria ou a moral pré-catequese, que me leva a uma atracção por qualquer coisa menos conhecida mas muito meritória, como países ou cidades ou certas obras obscuras de autores famosos.

É assim com os textos não poéticos, ou aparentemente (formalmente?) não poéticos de Fernando Pessoa. Espanta-me como se dá tão pouca atenção a estes textos. É que esta parte da imensa obra de Fernando Pessoa tem a mesma qualidade que a parte mais conhecida, a poesia.

Fernando Pessoa, sendo magistral em várias formas, temas e estéticas da poesia, é naturalmente mestre nas várias formas da escrita: também no teatro e na narrativa. Mas ainda além destas. Em qualquer texto, em qualquer escrita. E nem poderia ser de outra maneira.

É um prazer enorme, é o mesmo prazer, ler a não-poesia de Fernando Pessoa.

Agora, o quanto de poesia, subjacente?, transcendente?, haverá em toda esta não-poesia?


Haja tempo para!

|

Links to this post:

Create a Link

<< Home